PORQUE AS CRIANÇAS PRECISAM DE LIMITES – PARTE 3

Limite e a “linha de demarcatória” que identifica uma pessoa; ele determina onde uma termina e a outra começa. Se conhecemos os limites de uma pessoa, sabemos o que podemos esperar dela. Podemos exigir responsabilidade em relação aos sentimentos, atitudes ou comportamento. É muito comum encontrar casais discutindo sobre “de quem é a culpa”, com ambas as partes se isentando da responsabilidade. No relacionamento com outra pessoa, podemos determinar o que um pode esperar do outro e quais as responsabilidades que cada um deve assumir para si. Se cada pessoa cumpre a sua parte, o relacionamento se desenvolve e todos alcançam seus objetivos.

Com as crianças não é diferente. A criança precisa saber onde o limite dela começa e o que é ou não de sua responsabilidade. Se ela souber que o mundo espera que ela assuma a responsabilidade por si própria e por sua vida, então aprenderá a viver segundo essas exigências e a se dar bem.

Contudo, se ela crescer sem saber quais são seus próprios limites (quais as suas responsabilidades) e os limites dos outros (quais são as responsabilidades dos outros), não vai desenvolver o autocontrole necessário para viver bem. Ela crescerá com limites indefinidos, que a conduzirão ao caminho oposto: tentar controlar os outros e perder o próprio controle. De fato, poderíamos descrever as crianças exatamente como pessoas pequenas que não tem controle de si mesmas e tentam controlar todos à sua volta. Elas não sabem controlar e se adaptar às exigências da mamãe e do papai; elas querem que a mamãe e o papai mudem suas exigências.

Está claro porque a criação de filhos é tão difícil. As crianças não nascem com limites. Elas interiorizam os limites por meio de relações externas e da disciplina. Para que aprendam pelo que são e não são responsáveis, os pais precisam ter limites bastante claros e se relacionar com elas de uma forma que as ajude a aprender a ter seus próprios limites.

Quando os limites são claros, as crianças desenvolvem várias qualidades:

  • A clara noção de quem são
  • Pelo que são responsáveis
  • Capacidade de fazer escolhas
  • A consciência de que, se fizerem uma boa escolha, tudo dará certo e, se fizerem uma má escolha, sofrerão
  • A possibilidade de terem amor verdadeiro calcado na liberdade.

A essência dos limites une autocontrole, responsabilidade, liberdade e amor. Essas são as bases da vida espiritual. Além do amor e da obediência a Deus, que tipo de formação poderia ser melhor do que essa? Mas a questão é: como isso acontece?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s