UMA CASA FEITA DE PENSAMENTOS – Francis Frangipane

20141213_151242 - Copia

Existem fortalezas satânicas sobre países e comunidades, há fortalezas que influenciam igrejas e indivíduos. Onde quer que exista uma fortaleza, ela é um hábito de pensamento induzido pelo demônio. Mais precisamente é uma “casa feita de pensamentos” que se transforma em habitação de atividade satânica.

Mt 12.43,44 – Jesus revelou qie existe um aspecto da natureza humana que pode hospedar um espírito maligno e prover-lhe algum descanso.

Em primeiro lugar devemos entender que nenhum demônio pode habitar o espírito de um verdadeiro cristão. Pela regeneração o espírito humano passa a ser habitação do Espírito Santo.

É exclusivamente em nossos pensamentos não crucificados e atitudes não santificadas que os espíritos imundos, mascarando-se como maus pensamentos e escondendo em nossas atitudes encontram acesso á nossa vida.

Mt 12.44-45 – Quando se ignora a necessidade de trazer Cristo à alma liberta, existe o perigo de que o último estado “deste homem” seja “pior do que o primeiro” (Mt 12.45; 2Pe 2.20). Jesus tem que entrar e ter permissão para construir uma habitação de justiça na mesma área que Satanás uma vez ocupou. Exceto em casos de aflição física, não se deve buscar a libertação para ninguém que não esteja desejoso de submeter seus pensamentos a Jesus Cristo.

Lc 11:21-22 – Se pudéssemos olhar no mundo invisível, observaríamos o Espírito Santo trabalhando com os anjos de Deus para destruir a primeira linha de defesa do inimigo, sua “armadura”. O que era exatamente essa armadura que protegia o Diabo e nos escondia da salvação? A armadura em que os demônios confiam consiste em nossos  de próprios pensamentos, atitudes e opiniões, os quais estão de acordo com o mal.

O que Jesus chamou de “armadura”, o apóstolo Paulo classificou como “fortalezas” (2Co 10.1-4).

A base da nossa vitória permanente na guerra vem da entrega ao Senhor, quando ele nos revela essas fortalezas, e da concordância em que Ele as destrua por meio de nosso arrependimento.

Quando falamos de fortalezas, não estamos falando de pensamentos aleatórios ou pecados ocasionais. Em vez disso, as fortalezas que mais nos afetam  são aquelas que estão tão escondidas em nossos hábitos de pensamentos que não as reconhecemos nem identificamos como mal.

Quando nossos pensamentos estão de acordo com a incredulidade o medo ou o pecado habitual, o inimigo encontra descanso.

1Pe 5:9 –  Haverá um período de luta envolvido no processo de destruição de fortalezas, porque você está rompendo seu acordo com o inimigo que lutará para permanecer em sua vida.

É raro um cristão que não seja limitado por pelo menos uma das seguintes fortalezas: incredulidade, amor esfriado, medo, orgulho, falta de perdão, luxúria ganância ou qualquer combinação desses pecados, bem como a possibilidade de muitos outros.

Pv 23.7 – A essência de quem você é está no seu pensamento. Para alcançar a libertação precisamos reconhecer sinceramente e confessar nossas necessidades.

 

1. A primeira fortaleza que Deus quer remover é o orgulho, pois se o indivíduo não reconhece que precisa de libertação, jamais se livrará das fortalezas.

Para reconhecer o que está errado em nós, precisamos reconhecer qual é o padrão de justiça de Deus. Precisamos entender também que só Jesus pode ser como Jesus.  O próprio Cristo vivendo em nós cumpre o eterno propósito de Deus, que é fazer o homem à sua imagem. É a vinda da presença do Senhor Jesus em nós que torna as armas de nossa guerra potentes, dando autoridade ás nossas palavras enquanto derrubamos as fortalezas.

Logo, é preciso aprender a olhar objetivamente qualquer pensamento ou atitude que deixe de corresponder à semelhança de Jesus e seus ensinamentos. Precisamos abrir camimho em nós para a atuação do Senhor. Temos de permitir o “aumento do seu governo” até que fiquemos tão absorvidos no seu Espírito que não somente creiamos nele, mas também creiamos como Ele.

2. A segunda fortaleza que deverá ser aniquilada é a fortaleza da incredulidade. É esse tipo de pensamento – que nos diz que a semelhança de Cristo é impossível – que impede todo crescimento espiritual.

3. A terceira fortaleza que deverá ser destruída é a fortaleza do fracasso. Vença a fortaleza do fracasso!

Para lidar com a fOrtaleza do fracasso, precisamos nos arrpender de nossa maneira de viver. Tenha em mente também que arrpendimento significa também “mudança”, não meramente remorso. Nosso modo de pensar precisa mudar.

a) Capture o pensamento: “Eu sou um fracasso”! Arrependa-se dele, pedindo a Deus que perdoe a sua incredulidade. Permita que sua mente seja renovada pela Palavra de Deus, que diz: “Tudo posso naquele que me fortalece” (Fp 4.13). Sou completamente capaz de fazer todas as coisas por meio de Cristo que me fortalece.

b) Amarre o pensamento: “Eu sou mesmo um pecador”. Substitua-o por sua profissão de fé que diz: “Embora eu tenha sido um pecador, agora eu sou o filho amado do Senhor e, apesar de ainda pecar eventualmente, o sangue de Cristo me lava de toda a injustiça” (1Jo 1.9).

Estabeleça em suas atitudes que o objetivo e o propósito de sua salvação é você amoldar-se à semelhança de Cristo (Rm 8:29).

Uma vez que reconhecemos que nossa salvação é uma transformação contínua e estamos mudando para uma “glória cada vez maior” (2Co 3.18) até a imagem de Cristo, não devemos deixar-nos desanimar pelas fortalezas que descobrimos.

 

4. A quarta fortaleza a ser destruída é a fortaleza do medo.

 

Sua experiência lhe diz que, se tentar algo novo, principalmente diante de pessoas, você pode embaraçar-se e ser rejeitado. Esse afastamento silencioso, temeroso de você mesmo, se transformou numa casa de pensamentos onde mora um espírito de medo.

Deus não o quer na escravidão.

Lembre-se, Jesus disse que o Pai nos perdoa assim como nós perdoamos aos outros. À medida que você c-resce no processo de perdão, cresce em amor e, como as Escrituras dizem: “No amor não há medo[…] o perfeito amof expulsa o medo” (1Jo 4:18). A fortaleza do medo será substituída pelo fortaleza amor do amor.

Lembre-se sempre: A vitória começa com o nome de Jesus em nossos lábios, mas não se consuma enquanto a natureza de Jesus não estiver em nosso coração. Não é suficente ter sua “casa […] varrida e em ordem” (Mt 12.44). Sua mente deve ser ocupada pela pessoa de Cristo.

 

Anúncios

Um comentário sobre “UMA CASA FEITA DE PENSAMENTOS – Francis Frangipane

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s