SETE ASPECTOS DA PALAVRA DE DEUS – John Walker

20140518_100901[1]

SETE ASPECTOS DA PALAVRA DE DEUS
O alvo deste estudo é relacionar os sete aspectos da Palavra de Deus para estimular nosso estudo. Queremos também mostrar um princípio muito importante: A unidade através da diversidade. Temos vários exemplos disto. No arco-íris muitas cores unem para fazer um só arco-íris. . Para termos a luz normal, é necessário a união de todas as cores. Um tecido é formado da união de várias linhas de diversas cores. Em Apocalipse há sete lâmpadas diante do trono representando os sete espíritos de Deus. Assim temos sete aspectos da Palavra de Deus unindo para mostrar a natureza de Deus. Cada aspecto é necessário para revelar o verdadeiro sentido daquilo que Deus quer nos falar.
Os sete aspectos são:
I. HISTÓRIA – passado
II. PROFECIA – futuro
III. COMUNHÃO NO ESPÍRITO
IV. REVELAÇÃO OU CIÊNCIA SOBRENATURAL
V. SABEDORIA – parábolas, provérbios, alegorias, filosofia.
VI. DOUTRINA – leis e ensinos, etc.
VII. EXORTAÇÃO – chamada para ação.

I. HISTÓRIA – relato do passado
É muito enfatizado na Bíblia. A Bíblia trata principalmente da história de Israel, a nação escolhida dentre todas as outras. Começando com Abraão, podemos ver o plano de Deus desabrochando passo a passo na história deste povo especial. Assim a hstória do povo de Israel não foi escrita simplesmente para nos contar aquilo que aconteceu. Ela tem uma aplicação para as nossas vidas. Podemos aprender lições importantíssimas lendo a história deste povo milagroso. Cada detalhe que aconteceu com eles, como a caminhada no deserto, a água da rocha, o maná, e tudo o que faziam serve para nossa edificação. São exemplos e revelam princípios de verdades eternas. O fato da história deste povinho desprezado revelar o lano etrno de Deus para o seu povo é um “escândalo de particularidade”. É uma coisa que os homens não podem entender ou aceitar.
Os intelectuais não conseguem aceitar a idéia de que este povinho desprezado com costumes esquisitos possa ter qualquer importância básica na história. Eles nem acreditam que muitas coisas relatadas a Bíblia sobre este povo realmente aconteceram.
Mas Deus dá muito valor e importância à história deste “povo milagroso”. Ele teve um cuidado especial com eles porque ele queria que servissem de edificação e que fossem instrumento de revelação da sua palavra para todos os séculos. Deus mede tudo de acordo com a história de Israel. A história da China, da Europa ou da África não tem tanta importância aos olhs de Deus como a de Israel. Elas nem são levadas em conta. Na Bíblia as outras nações são comparadas com o mar. Não tem medida. São ondas que vão e voltam e não podem ser medidas. Israel, pelo contrário é comparada com a terra, com uma rocha,medida com absoluta precisão. O plano de Deus começa e termina com Israel, e qualquer coisa que acontece fora de Israel não é contada nem medida. A história de um povo qualquer pode durar até séculos, mas não entra na medida do plano de Deus.
Até hoje os judeus agem como se fossem o povo escolhido de Deus. Mesmo sem eles saberem, tudo o que eles fazem continua a ser milagroso. Mesmo se eles ficarem sozinhos, lutando contra o mundo inteiro eles não importariam. Eles têm coragem para lutar até o fim. Veja, por exemplo, a Guerra dos Seis Dias. Não há explicação a não ser que ela foi um milagre.
Os livros principais de História são os livros de Gênesis a Jó no Velho Testamento e de Mateus a Atos no Novo Testamento. Apesar destes livros serem principalmente sobre história, eles têm outros aspectos misturados no meio. Levítico, por exemplo, não tem nada de história. Só leis e sacrifícios. Nos livros históricos do Novo Testamento podemos achar profecia e outros aspectos, mas principalmente a história de Jesus de Nazaré, filho de Davi (nos Evangelhos) e a história da Igreja Primitiva (em Atos).
II. PROFECIA – previsão do futuro
Em 2Pe 1:11-12 fala de “palavra profética” referindo às Escrituras. A Palavra de Deus é a palavra profética. Este aspecto trata de profecia inspirada pelo Espírito Santo, Deus falando através do homem. A Palavra de Deus muitas vezes fala do futuro revelando o plano de Deus para os séculos. Todo o plano de Deus é revelado através de profecia. Há muitos livros da Bíblia em que se encontra profecia. Talvez podemos achar a profecia em todos os livros da Bíblia. Profecia trata do futuro, do plano de Deus, do pensamento de Deus e do Reino de Deus.
Achamos profecia principalmente nos livros de Isaías e Malaquias, em Apocalipse, em alguns capítulos dos Evangelhos como Mateus 24 e nos Salmos. Davi era um profeta. Ele profetizou acerca de Jesus, seu filho e Seu Senhor. Temos profecias também nos livros de Moisés. Em Deuteronômio 18 , Moisés profetiza sobre um “profeta semelhante a mim”, que era Jesus. A Bíblia toda está cheia de profecia.
III. COMUNHÃO NO ESPÍRITO
Quando falamos de comunhão estamos falando de oração, louvor e adoração. Isto também se acha em quase todo o livro da Bíblia. Comunhão é a comunicação entre o homem e seu Criador, é a respiração do espírito do homem a Deus. Quando Deus fala ao homem, é profecia. Quando o homem fala a Deus, é oração, comunhão. Abraão, Jacó e outros tinham comunhão com Deus. Havia uma abertura entre os céus e a terra. O homem em comunhão com Deus através de oração, adoração, cânticos ou louvores. O livro que trata disto mais do que os outros é o livro de Salmos. É um livro de devoções, de comunhão com Deus. Qualquer pessoa que não sabe orar pode aprender: basta ler os salmos. Um bom costume é orar-ler um salmo, deixando Davi nos ajudar a orar. Muitas vezes ele começa com angústia e termina com louvor. Toda mentalidade deste homem de Deus é revelada através de seus salmos. Seus salmos são uma verdadeira escola de oração e adoração. Muitos outros livros da Bíblia também tratam desta comunhão.
IV. REVELAÇÃO OU CIÊNCIA SOBRENATURAL
Este aspecto trata dos mistérios de Deus. É uma ciência que explica ou revela alguma coisa. Ela descortina um pouco dos mistérios de Deus. Ela revela tais mistérios com a criação natural de Gênesis e a nova criação em Apocalipse. Encontramos revelações nestes dois livros e também em muitos outros. Os Evangelhos e as Epístolas estão sempre falando sobre o mundo espiritual, anjos, demônios, espíritos imundos, etc. Paulo até fala sobre o terceiro céu, mas principalmente ele fala sobre a revelação do mistério de Deus que é Cristo.
Vemos muitas revelações em Ezequiel (cap.1 e 10): os quatro seres viventes e as rodas de fogo), e em Daniel (anjos de vários graus, etc). Espíritos imundos, doenças causadas por demônios, o milagroso ou as leis espirituais, os dons do Espírito; todos estes aspectos fazem parte da ciência sobrenatural. O ministério de Elias e Eliseu operando com os dons do Espírito, o ministério de Jesus e os apóstolos sempre agindo no nível do milagroso são exemplos de revelações da região espiritual.
V. SABEDORIA – parábolas, provérbios, alegorias, filosofia.
Neste aspecto temos as parábolas, provérbios, alegorias, etc. Isto é o contrário da ciência sobrenatural. Sabedoria, neste caso, é uma maneira de expressar a verdade escondida, e é necessário ter revelação para entender o sentido e achar a verdade. A ciência é uma coisa mais exata, embora a Ciência Sobrenatural seja um pouco misteriosa. Jesus gostava muito de falar a verdade por meio de parábolas.
Quando perguntaram porque Ele falava por meio de parábolas, Ele respondeu: “Para ninguém entender, a não ser vocês que tem a revelação”. O propósito de suas parábolas, então, era esconder a verdade para que, no tempo certo os escolhidos a entendessem pela revelação do Espírito Santo. Deus fala uma coisa, mas depois tranca de tal forma que só possa ser aberta por uma pessoa que tenha a revelação do Espírito, na hora certa. É muito perigoso entender a Palavra mas não estar pronto para a praticar. Por isso é necessário a verdade ser escondida e guardada na hora certa. Jesus também não queria que as pessoas entendessem a verdade apenas na mente. Ele queria que a verdade fosse recebida com a revelação do Espírito para que houvesse a conversão do coração e não só da mente. Se Ele tivesse falado a verdade abertamente , muitos teriam convertido na mente e não no coração. Deus quer converter o coração, o homem interior. O conhecimento apenas da mente resulta em exaltação como foi no caso de Lúcifer. Ele, como o querubim que cobria, se exaltou com a sua própria glória e não tinha o coração convertido.
Talvez os dois homens que mais usaram parábolas foram Salomão e Jesus. Os livros de Salomão se dedicam quase exclusivamente a este aspecto da sabedoria, a filosofia e provérbios. Os seus livros (Provérbios, Eclesiastes e Cantares) são os principais livros na Bíblia que demonstram este aspecto da Palavra de Deus. Os profetas também usavam parábolas para declarar a verdade. O livro de Jó é filosofia, uma procura para entender o verdadeiro sentido da vida.
Os livros de sabedoria e as parábolas não são para nos converterem. Eles foram escritos para convertidos e estão cheios de tesouros para quem tem revelação.
VI. DOUTRINA – leis, ensinos, conselhos, regras
Os principais mestres de Doutrina foram Moisés com as leis, Jesus com os mandamentos, e os apóstolos com seus ensinamentos nas suas epístolas.
Doutrina na Bíblia não é uma coisa seca ou puramente intelectual. Em Atos 13 quando Paulo repreendeu aquele homem e fez que ele ficasse cego, o procônsul, vendo o que havia acontecido, creu e perguntou: “Que doutrina é esta?” Uma doutrina com milagres. A doutrina de Deus é uma doutrina que tem poder. A doutrina intelectual é só uma coisa teórica e morta, mas a doutrina de Deus tem poder para manifestar a verdade. A doutrina de Deus é confirmada com sinais e milagres. A doutrina sã, doutrina apostólica, sempre vem acompanhada por sinais e poder. A doutrina teórica resulta em divisão, mas a doutrina apostólica é uma doutrina no Espírito e vai resultar na unidade do povo de Deus.
VII. EXORTAÇÃO – chamada para ação
Do início ao fim da Bíblia encontramos exortações e chamadas para que o povo de Deus entre em ação: Acorde! Levante! Arrependa! Vigiai e orai! Ficai firmes! Ide por todo o mundo! Perseverai! Buscai o Reino de Deus e primeiro lugar! Entrai pela porta! Obedecei aos vossos guias! Saí dela! Alegrai-vos! Vocês já notaram que as epístolas de Paulo começam com revelação e depois terminam com exortações para entrar em ação? Quase todas as epístolas dele começam com princípios até a metade ou mais da epístolas. Depois na segunda metade ele dá aplicações práticas, exortações. Por exemplo: Efésios começa nos capítulos 1 a 4 com grandes visões das coisas celestiais. Depois nos capítulos 4-6 ele dá exortações e aplicações práticas. Romanos segue a mesma forma. Em Romanos 12 começam as exortações.
Este aspecto da Palavra de Deus prova que o homem não é obrigado a obedecer a Deus. O homem tem uma vontade própria, uma vontade para decidir se vai obedecer ou não a Deus. Se isto não fosse verdade, Deus não usaria exortações: “Faz isto ou faz aquilo”. Ele não precisaria mandar o homem fazer alguma coisa. Bastaria obrigar o homem a fazer o que ele queria. Esta no poder do homem ouvir o que Deus fala e daí resolver se vai obedecer ou não. Alguém poderia dizer; ‘Eu não tenho poder para fazer nada, nem mesmo decidir se vou obedecer ou não. É Deus que controla tudo. Mas não é assim. Deus fala por meio de exortação e depois espera para ver se o homem va resolver a obedecer ou não. Há a parte do homem e parte de Deus. Deus dá graça, mas é necessário o homem levantar e entrar nesta graça. É necessário esforçar-se para entrar no descanço (Hb 4:11).

PERGUNTAS PARA REVISÃO
1. Quais são os sete aspectos da Palavra de Deus?
2. Os sete aspectos da Palavra de Deus contradizem um ao outro?
3. Por que não devemos entender ou nos apegar à somente um ou dois aspectos da Palavra?
4. Por que a Bíblia dedica tanto espaço à história de Israel?
5. Qual a diferença principal entre a história de Israel e a história de outras nações?
6. Quais são os livros principais de História?
7. Qual a diferença entre Profecia e História?
8. Qual o assunto principal da Profecia?
9. Qual a diferença entre Profecia e Comunhão ou Oração?
10. Qual o livro da Bíblia que nos ensina mais sobre Comunhão?
11. O que é Revelação ou Ciência Sobrenatural?
12. Dê cinco exemplos de Ciência Sobrenatural encontradas na Palavra.
13. Qual a diferença entre Ciência Sobrenatural e Sabedoria?
14. Por que Jesus falava em parábolas?
15. Qual o perigo de conhecer a verdade apenas na mente?
16. Quais foram os principais mestres de doutrina?
17. Qual a diferença entre doutrina intelectual e doutrina de Deus?
18. Qual o resultado da doutrina teórica? E da doutrina apostólica?
19. O que é exortação?
20. Antes das exortações em suas epístolas, o que Paulo faz geralmente?
21. Por que dizemos que o fato de Deus usar exortações prova que o homem tem livre arbítrio?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s