A FREQUÊNCIA DAS NOSSAS ORAÇÕES – Edilberto Pereira Luz

IMG_20131029_204203

A oração deve ser contínua. Além de um prazer é um dever (Lc 18:1).

Através dessa parábola Jesus quer enfatizar que a oração é um dever do qual um cristão não tem como abrir mão. A prática da oração está diretamente relacionada com a nossa sobrevivência espiritual.

Paulo achava tempo para orar por muitas pessoas e igrejas em todas as suas orações (Rm 1.9-10; Fp 1.3-4; 1Ts 3.10; 2Tm 1.3).

“Orai sem cessar”. Essa era a prática de Paulo.

Paulo nos fala de cinco pontos a considerar acerca da frequência de nossas orações.

  1. 1.    Dando sempre graças a Deus – Ef 1:16

Este é o primeiro passo importante acerca da frequência das orações: devemos orar sempre porque devemos sempre expressar nossa gratidão a Deus. Deus é bom e tudo o que Ele faz é bom. Paulo sabia que a igreja de Éfeso tinha problemas. Uma terrível batalha espiritual estava sendo travada por essa igreja. Ele enfrentavam um terrível principado chamado Diana. Mas Deus havia feito coisas tremendas na vida daquelas  pessoas. Havia coisas boas na vida daquela igreja. E, por isso Paulo não cessava de dar graças pelos seus irmãos de Éfeso.

Ações de graças deve ser uma parte importante de nossas orações. Através delas nós demonstramos a Deus o quanto somos gratos pelo que Ele tem feito por nós e através de nós.

Deixe-me compartilhar com você algo que aprendi com John Stott em seu livro A Mensagem de Efésios:

Para se ter uma vida cristã saudável, ainda hoje é de vital importância seguir o exemplo de Paulo e manter unidos o louvor e a oração. Muitos, entretanto, não conseguem esse equilíbrio. Alguns cristãos apenas oram em favor de novas bênçãos espirituais, aparentemente ignorando o fato de que Deus já os abençoou em Cristo, com toda a bênção espiritual. Outros dão tanta ênfase na indubitável verdade que, em Cristo tudo já é deles, que se tornam negligentes e não demonstram vontade de conhecer ou experimentar com maior profundidade seus privilégios cristãos. Ambos se polarizam, desviando-se do ensino das Escrituras, perdendo, assim, o equilíbrio espiritual.

O que Paulo faz em Efésios 1 é nos encorajar a fazer o mesmo que ele fez, é continuar louvando a Deus, porque em Cristo todas a bênçãos espirituais são nossas e também continuar orando para que conheçamos a plenitude daquilo que Ele nos deu. Se conservarmos juntos o louvor e a oração, as ações de graças e a petição, isto nos ajudará a manter o equilíbrio espiritual.

Quando damos graças a Deus nossa fé aumenta, nosso entusiasmo aumenta, nosso vigor espiritual aumenta. Por isso devemos sempre dar graças a Deus por tudo e em tudo.

  1. Não cessar de pedir – Cl 1:9

Paulo está nos ensinando sobre a importância de sempre pedir a Deus. Se por um lado devemos orar sempre porque temos muito a agradecer a Deus, por outro lado, devemos sempre pedir porque é dEle que provem aquilo de que precisamos.

Paulo sabia que a igreja de Colossos precisava ser cheia do conhecimento da vontade de Deus, precisava receber sabedoria e entendimento espiritual. Então ele ora a Deus e solicita essas bênçãos para a igreja.

O que você espera de Deus para a sua vida, para a sua igreja, para a sua família? Deus quer oferecer para você o melhor. Basta pedir.

Para buscarmos as bênçãos de Deus através da oração e sermos bem sucedidos precisamos levar em consideração aquilo que Jesus nos ensina em Mateus 7:7-8.

Jesus está nos ensinando a perseverar em oração. O tempo dos verbos no versículo 8 indica uma ação contínua. Isso significa que temos que continuar pedindo, buscando, e batendo.

a)    Pedir indica que temos consciência da necessidade e cremos que Deus está ouvindo nossas orações.

b)    O buscar implica no rogar intensamente junto com a obediência à vontade de Deus.

c)    O bater implica na perseverança em ir a Deus mesmo quando Ele não responde rapidamente.

Pedir sempre é algo imprescindível na nossa vida de oração. A importância é tão grande que Tiago chega a declarar eu não recebemos porque não pedimos e quando pedimos fazemos da maneira errada (Tg 4.2-3).

Portanto, devemos pedir sempre, mas com a postura correta, com desejos corretos lembrando sempre de 1João 5.14.

A oração deve ser frequente em nossas vidas porque temos muito que pedir a Deus.

  1. 3.    Mencionar sem cessar – 1Ts 1:2-3

Em terceiro lugar, devemos orar sempre porque Deus quer que façamos menção de pessoas diante dele. Paulo sempre dava graças a Deus por todos os cristãos de Tessalônica, mas não se esquecia de mencioná-los em suas orações. Mencionar tem a ver com lembrar, com citar o nome, com citar a necessidade. Quantas pessoas você tem para citar diante de Deus? Por isso devemos orar sempre, citando pessoas diante de Deus. Não deixe de mencionar pessoas que são importantes, diante de Deus. Saiba que Deus vai fazer uma obra através de suas orações.

  1. 4.    Lembrando sempre – Fm 4

            Em quarto lugar, devemos orar sempre porque o Espírito Santo está sempre pronto a nos fazer lembrar de pessoas pelas quais devemos orar.

Há pessoas que são difíceis, cuja conversão e restauração passa por muita intercessão. Deus quer nos usar para que essas pessoas também sejam salvas. Devemos orar sempre para nos lembrar diante de Deus de nossos amigos, colegas, irmãos em Cristo, enfim daqueles por quem Deus quer que oremos.

  1. 5.    Por causa dos absolutos da oração – Ef 6;18

            Finalmente, devemos orar sempre porque os absolutos da oração, exigem essa frequência. A Bíblia nos exorta a orar em todo o tempo no Espírito. Por isso  o Espírito Santo nos deu uma linguagem sobrenatural de oração. Ao receber o dom de orar em outras línguas, recebemos a capacidade de orar em todo o tempo no Espírito Santo. A Bíblia nos ensina algo tremendo a esse respeito em 1Co 14:14 (Ler).

Isto significa que ao orar em línguas eu libero o meu entendimento para realizar outras coisas enquanto oro. Isto me dá condições de orar enquanto eu dirijo meu carro, enquanto faço compras no supermercado, enquanto trabalho no escritório, etc. Com isso posso passar o dia em oração e, assim obedecer a Palavra de Deus.

Assim, posso orar com toda a perseverança, por todos os santos e em todo o lugar.

 

CONCLUSÃO

            Com que frequência devemos orar? Sempre!!!  A  oração se compara, do ponto de vista espiritual, à respiração do ponto de vista físico. Sem oração, sofremos de asfixia espiritual. Não temos fôlego para correr a carreira que nos está proposta. Mas, quais são as motivações que Deus nos dá para orar sem cessar?

  1. Dando sempre graças a Deus – oramos sempre para demonstrar a Deus nossa gratidão.
  2. Não cessar de pedir – oramos sempre porque temos muito  que pedir a Deus.
  3. Mencionar sem cessar – Oramos sem cessar porque temos muitas pessoas e situações que precisam ser mencionadas diante de Deus.
  4. Lembrando sempre – Oramos sempre porque Deus quer ser lembrado das nossas necessidades e de pessoas pelas quais devemos interceder.
  5. Por causa dos absolutos da oração – Oramos sempre porque os absolutos da oração exigem que o façamos.
Anúncios

Um comentário sobre “A FREQUÊNCIA DAS NOSSAS ORAÇÕES – Edilberto Pereira Luz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s