A ISCA DE SATANÁS – VALNICE MILHOMENS – 1

Foto0086

Vamos abrir a Palavra de Deus em Lucas 17:1-2: “É impossível que venham os escândalos..” Se Jesus disse que é impossível, é impossível.

As versões inglesas mais antigas traduzem estes versículos assim: “É impossível que venhas ofensas…”

Isto deve nos colocar de sobreaviso. As ofensas virão com certeza. Como vamos lidar com elas?

Muitas pessoas contraem enfermidades por causa da amargura: um câncer, hipertensão, enxaqueca, doença de pele, etc.

Há um livro muito interessante chamado “A Isca de Satanás”.  John Bevere é o autor deste livro. Na introdução do livro o autor deixa uma advertência muito séria: “A maior isca de Satanás e a ofensa”.

Vamos considerar neste estudo esta questão das armadilhas, usando o título deste livro, A Isca de Satanás.

Se quisermos pegar um rato vamos precisar armar uma armadilha, um alçapão, uma ratoeira. Mas que possamos prender o animal, precisamos de uma isca. Há dois elementos que precisam  existir para que possamos pegar o animal. Uma é o elemento visível que é a isca. O outro é o elemento oculto, ou seja, temos que deixar a coisa oculta daquele que queremos apanhar. O animal não vai ver a armadilha mas vai ver a isca.

No grego, a Palavra que é traduzida neste versículo por escândalo, é entendida como  parte da armadilha onde se coloca a isca. Jesus está dizendo que é impossível que haja em nossa vida, na vida da igreja, iscas posicionadas com o propósito de nos levar a queda, de nos trazer um tropeço.

Satanás procura entrar na nossa vida através de armadilhas que não são tão perceptivas. E, nessa armadilha ele coloca suas iscas. Nós não vemos  armadilha, somente a isca. Então, comemos a isca, e comendo a isca, somos apanhados na armadilha, e nos tornamos prisioneiros.

São muitas as iscas que Satanás usa, mas nesse estudo vamos tratar apenas da isca da “ofensa”.

você já foi ofendido? Se foi, isto significa que Satanás, já colocou diznte de você, a isca da ofensa. Resta saber se você comeu a isca ou ão.

O ofendido vai produzir muitos frutos: o fruto da ferida, o fruto da ira, da raiva, da inveja, da vingança, do ressentimento, da luta, da amargura, do ódio. Todo aquele que come da isca da ofensa vai produzir estes frutos. Os resultados destes frutos serão os insultos, os ataques,as divisões, as separações, os relacionamentos quebrados, a traição. Estas coisas são inevitáveis.

Frequentemente, aquele que está ofendido não percebe que caiu numa armadilha, ele come a isca, mas não percebe que é prisioneiro. o modo mais efetivo do inimigo cegar-nos é nos levar a focalizarmos em nós mesmos. O ferido não consegue ver a armadilha. Ele vê somente a si mesmo e aos seus sentimentos feridos. E assim Satanás o mantém prisioneiro.

Vivemos hoje, numa igreja que cresceu muito no conhecimento. Mas, a despeito da Igreja ter crescido tanto em conhecimento nunca houve tanta divisão, tanta briga, tanta disputa, tanto ciúme entre irmãos, entre líderes, entre denominações.

Por que? Por causa da ofensa. A ofensa é falta de amor genuíno.

1Co 8;1 – O conhecimento nos incha, nos ensoberbece. O muito conhecimento da Igreja não tem resolvido o seu problema porque tem feito dela uma Igreja soberba. A única cisa que edifica é o amor e amor perdoa.

John Bevere, depois de colocar o título em seu livro, escreve uma frase: “A sua resposta hoje, determina o seu futuro”. Amaneira como reagimos à isca do d iabo determina como será o nosso futuro.

Um dos laços mais enganosos dentro da Igreja é a ofensa. A pessoa ofendida é incapaz de funcionar com todas as suas faculdades e bom senso. Isto acontece porque seu entendimento fica entenebrecido. sua visão fica obscurecida, porque os seus sentimentos estão afetados e ela vê apenas a si mesma. seu julgamento, portanto, é enganoso.

Vamos olhar o Salmo 55:12-14. Grande parte de nossas ofensas nos advêm daqueles que nos são chegados. E, como na Igreja, somos irmãos, é muito fácil nos ofendermos.

Quanto mais próximo é o relacionamento, mais severa é a ofensa. Somente somos ofendidos por pessoa que representam alguma coisa para nós.

As guerras mais sangrentas são as guerras civis. São guerras entre irmãos, entre compatriotas. O ódio, fruto da ferida, provoca a guerra.

Porque recebemos as ofensas dos que nos são mais próximos?

Por causa das nossas expectativas em relação a eles. Temos altas expectativas e, quando as nossas expectativas falham, parece que o nosso mundo se desmorona. Nós começamos a digerir a ofensa. Quanto maior a expectativa, maior a queda. Quanto maior a expectativa, maior a ferida.

2Tm 3:2 – O apóstolo Paulo, falando desta sociedade dos últimos dias usa uma expressão para descrevê-la; “Amantes de si mesmos”. Estamos vivendo nestes últimos dias numa sociedade formada por amantes de si mesmos, em cada um pensa em si mesmo, em que os pais se esquecem dos filhos, os filhos se esquecem dos pais, amigos se traem facilmente, vínculos de aliança são quebrados facilmente, lares são facilmente desintegrados, por causa de um egoísmo que domina esta geração.

Precisamos estar preparados na certeza de que ofensas virão mas que eu não vou cair na armadilha. Eu não posso impedir que as ofensas venham, mas eu posso me preparar para que, vindo as ofensas eu não coma a isca.

Isto não é fácil, porque na armadilha do diabo há o engano. O engano é a certeza de que eu estou certo, mas não estou. A ofensa é uma estratégia de Satanás apara levar as pessoas ao cativeiro.

2Tm 2:24-26 – É necessário, portanto, que  o servo de Deus se livre dos laços do diabo nos quais se fizeram cativos, por causa das disputas,por causa das contendas, por causa das ofensas. Os que caem não estão conscientes do fato, mas é preciso que nos conscientizemos de que, quando ficamos ofendidos, estamos na arapuca do diabo.

A amargura é porta aberta para a infiltração de todo o tipo de demônios e a amargura é a consequência de almas feridas.

Podemos classificar os ofendidos em duas categorias:

– Os que foram tratados injustamente;

– os que acreditam que foram tratados injustamente.

Nem todo o mundo que sente que foi injustiçado o foi. Mas, porque ele se sente injustiçado, se sente ofendido. Aquele que crê que foi injustiçado retira a sua conclusão normalmente de informações que não são fidedignas. E, se as informações não são verdadeiras o seu entendimento será distorcido. Isto acontece porque o seu entendimento está entenebrecido. Ele é parcial. Ele não tem condições de fazer uma análise fria da situação.

É de grande ajuda para analisar uma situação quando eu sou ofendido, me colocar no lado do ofensor.

Não importa qual é a sua posição,não importa qual é o seu nível espiritual, se cair na armadilha da ofensa, será prisioneiro de Satanás e dará direito a ele de interferir no chamado de Deus para a sua vida.

Anúncios

4 comentários sobre “A ISCA DE SATANÁS – VALNICE MILHOMENS – 1

  1. A autora explica logo abaixo quando afirma que “As ofensas virão com certeza. A questão tratada no artigo é como vamos tratar com elas.

  2. Não podemos nos sentir ofendidos quando alguém nos ofende? Como fazer para não sermos atingidos?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s