O GUERREIRO QUE DEUS USA – EDILBERTO PEREIRA LUZ – PARTE 2

 

UM GUERREIRO QUE DEUS USA NÃO SE DEIXA INTIMIDAR PELO INIMIGO 1Sm 17:1-11

Israel estava a beira de um confronto violento com os filisteus. Repentinamente aparece no cenário um gigante de aproximadamente 2,70 m.

Golias começa a afrontar os exércitos de Israel. Ele lança um desafio: “que Saul escolha um guerreiro. Se ele me vencer  seremos seus servos, mas se eu vencê-lo você serão nossos servos”. Golias veio afrontar o povo de Deus.

Assim também Satanás vem afrontar-nos hoje em dia. Ele lança desafios, afrontas contra o povo de Deus. Umas das estratégias de Satanás é a intimidação (v.10).

A intimidação pode nos levar ao espanto, á perplexidade e, conseqüentemente ao medo (1Jo 4:18).

O missionário R. R. Soares faz algumas considerações importantes sobre o medo, em seu livro Vencer… Por que, Onde e Como?:

a)O medo é um pensamento negativo

 

b) O medo não é de Deus

 

c)O amor vence o medo

d) Saiba do que é que tem medo

 

e) Ponha o medo bem exposto

f) Encha sua mente com pensamentos de fé

g) Saiba que a maioria de seus temores não passa de meras ilusões ou de insinuações diabólicas.

h) Afirme sempre que, com a graça de Deus, você está apto e equilibrar-se em qualquer situação.

i) Mantenha em realce o mais poderoso de todos os pensamentos e a maior de todas as realidades: “Não estou sozinho”. Jesus está comigo.

 

O medo é um inimigo que precisa ser vencido.Satanás sabe que o medo pode levar uma pessoa a derrota total em sua vida espiritual.

 

O INIMIGO AJUNTA SUAS FORÇAS PARA GUERRA

 

Observe que os filisteus ajuntaram as suas forças para a guerra (v.1). Sempre quando o povo de Deus está em ritmo de conquista o inimigo ajunta suas forças. Se você ou sua igreja está em tempo de conquistar territórios saiba que o inimigo já ajuntou suas forças para a guerra. Isto é tremendo! Satanás não se preocupa com um povo fraco e sem expressão. Ele não se deixa intimidar por pessoas fracas que se rendem às suas insinuações. Mas, quando ele se depara com pessoas que estão firmes em seu propósito de conquista ele ajunta suas forças e se congrega bem perto de onde estas pessoas estão.

Se você é um conquistador  saiba que Satanás está de olho em você. Por isso você não pode deixar-se intimidar. Lembre-se do que ocorreu com Eliseu (2Rs 6:8-23). Neste episódio o rei da Síria Bem-Hadade fez guerra contra Israel. Ele enviou seus soldados para emboscar o exército de Israel. Porém, Deus falava com Eliseu acerca das estratégias do rei da Síria e Eliseu avisava o rei de Israel o qual conseguia escapar sempre do seu adversário. Esta situação deixou o rei da Síria furioso a ponto dele chamar os seus servos e perguntou-lhes quem é que estava trabalhando para o rei de Israel. Seus servos lhe explicaram que não era ninguém da Síria que o estava traindo, mas Eliseu, o profeta é que levava ao conhecimento do rei de Israel  até mesmo as palavras que Ben-Hadade falava em seu quarto de dormir.

O rei da Síria ficou indignado  e mandou um grande exército até Dotã para capturar Eliseu e leva-lo para a Síria. O exército de Ben-Hadade chegou à noite e cercou a cidade de Dotã. Logo cedo o servo de Eliseu levanta e vê aquele grande exército  cercando a cidade e fica desesperado. Ele vai até Eliseu e pergunta: “O que faremos, meu Senhor?” Eliseu muito tranqüilamente responde: “Não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles”. Que diferença a reação de Eliseu em comparação com a reação de seu moço. Esta é a reação de um guerreiro que Deus usa. Sabemos que mais são os que estão conosco. A matemática é muito simples: Se Satanás trouxe 1 terço dos anjos consigo na sua rebelião contra Deus, dois terços dos anjos estão conosco. Isto sem contar que Jesus já os despojou (lit. tirou-lhes a armadura e as armas) na cruz (Cl 2:15). Portanto estamos em grande vantagem contra eles. A questão é se conseguimos ver as coisas a partir desta ótica ou não. Como o servo de Eliseu há cristãos que ficam tão impressionados com a “força forjada” do inimigo que não conseguem perceber a grandeza de Deus.

Mas a história não termina aí. Eliseu percebe que o seu servo não está conseguindo ver as coisas como ele está vendo. Então o que ele faz? Intercede pelo moço: “Senhor, peço-te que lhe abras os olhos para que veja” (v.17). Então o senhor abriu os olhos do moço de Eliseu e aí ele pode ver.

Quando os soldados vem em direção á casa de Eliseu, o profeta ora em emite um comando ordenando que aqueles homens fossem feridos de cegueira. Isto acontece imediatamente. Então Eliseu faz com eles uma brincadeira. Ele toma aqueles homens que agora estão cego e diz a eles que estavam no lugar errado. Então eles são conduzidos pelo profeta para Samaria . Chegando lá, o profeta ora a Deus e a visão lhes é restaurada. Assim, eles percebem que entraram numa fria,pois agora estão nas mãos do rei de Israel. E o rei perguta ao profeta o que deveria fazer com aqueles homens.

Você consegue perceber o resultado de se ter uma visão correta da realidade? Eliseu foi capaz de inverter completamente a situação no momento em que assumiu a autoridade de homem de Deus diante do inimigo.

Para finalizar a história, Eliseu não permite que o rei prenda ou mate aqueles homens, mas manda que eles sejam alimentados e os envia de volta a Bem-Hadade. Conseqüentemente, a Síria não mais atacou a Israel.

Saiba que mesmo que o inimigo esteja por perto pronto para atacar não pode vencer um guerreiro que Deus usa e que consegue discernir a sua real condição diante do inimigo.

 

O POVO DE DEUS ORDENA A BATALHA CONTRA SEUS INIMIGOS

 

Enquanto o exército do inimigo ajunta suas forças para a batalha o povo de Deus ordena a batalha (v.2). A Igreja está no comando da Guerra Espiritual.

Sempre que falamos de Guerra Espiritual, a tendência natural é pensarmos em termos de exército das trevas. Estudamos muito sobre a hierarquia satânica (o que é muito importante), mas sabemos pouco da hierarquia divina. A Bíblia tem algo a nos ensinar sobre ambas.

Observe quem em Daniel capítulo 10 encontramos as expressões Príncipe da Pérsia e Príncipe da Grécia sendo aplicada a entidades demoníacas, mas Miguel é chamado de “um dos primeiros príncipes” (v.13). Em Cl 1:16 aprendemos que em Cristo foram criados “tronos, dominações, sejam principados e potestades”. Eu, pessoalmente acredito que Paulo está fazendo referência, não somente a demônios, mas também a anjos ou seres celestiais.

Talvez um dos textos mais esclarecedores sobre o importante papel da  Igreja na guerra espiritual esteja em Ef 3:10. Cabe à Igreja ministrar a multiforme sabedoria de Deus aos principados e potestades nas regiões celestiais. Isto significa que anjos e demônios tem muito o que aprender conosco. E, uma das grandes verdades que ensinamos aos demônios é que Jesus Cristo é o Senhor e é Ele quem está no comando de todas as coisas. Saiba que somos nós que ordenamos a batalha. Por isso não nos deixamos intimidar pelo inimigo.

 

A AÇÃO DE INTIMIDAÇÃO DO INIMIGO

No momento em que Saul ordena a batalha os filisteus enviam para ir de encontro com  eles o seu melhor guerreiro. Precisamos saber que quanto mais ousados formos, mais o inimigo vai investir no confronto conosco. Golias era um guerreiro tremendo. Era de grande estatura e veio paramentado com uma armadura quase que impenetrável. Você pode verificar  a descrição detalhada desta armadura nos versículos 5-7. Golias tem sido usado como símbolos de várias situações diferentes que envolvem a vida de um cristão: problemas, lutas e dificuldades podem ser interpretadas como Golias em nossas vidas. Mas nós vamos encarar Golias como sendo o melhor que Satanás pode fazer contras nós que somos povo de Deus. No momento que tomamos a posição de assumir nossa identidade como guerreiros do Senhor Golias vai vir nos confrontar.

A ação de intimidação se dá com base em alguns pontos importantes:

 

a)      O inimigo se apresenta como sendo grande (4) e nós somos muito pequenos;

b)      O inimigo está muito bem protegido (v.5-7) e nós estamos desamparados;

c)      O inimigo é muito ousado (v.8) e nós somos extremamente tímidos.

 

Ele desafia os guerreiros como muita ousadia, mas não confessa logo de cara o quão derrotado ele é. O que Satanás quer, na verdade é nos convencer que ele realmente pode fazer algo contra nós. Ele sempre age com base na crença de que seus blefes não serão contestados. Por isso os demônios vivem afirmando que as pessoas são fracas e não podem reagir a eles.

Golias lança um desafio. Ele quer lutar contra um guerreiro que vai representar todo o exército de Israel. O desempenho deste guerreiro vai determinar o destino do povo de Deus. Assim é o guerreiro que Deus usa. Seu desempenho diante do inimigo vai decidir o destino eterno de muitas pessoas, pois será desafiado pelo inimigo para ir de encontro a ele para guerrear pelas vidas. Paulo recebeu este chamado de Deus (At 26:18). Ele entendeu que para que alguém se converta a Deus, antes precisa ser liberto da potestade de Satanás.

Se queremos ser guerreiros a quem Deus possa usar, precisamos saber antes de tudo que o inimigo possui uma estratégia de intimidação. Mas, não podemos deixar de nos lembrar que Deus, por sua vez tem todo o poder, e este poder já foi colocado à disposição de seus filhos.

 

TEMER OU VENCER

 

Ao ouvir o desafio de Golias Saul e seu exército se encheram de temor. Eles se espantaram e temeram muito (v.11). Infelizmente essa é a reação de muitos cristãos diante das afrontas do inimigo.  Ficam espantados e se deixam dominar pelo medo. É certo que devemos reconhecer que Satanás é um inimigo astuto e que possui um certo gráu de poder  que ele usurpou do homem por ocasião da queda. Ele usa esse “poder” debaixo da soberania de Deus. Isso é um fato que não podemos jamais esquecer.

Diante das intimidações do inimigo o guerreiro que Deus usa terá que tomar uma decisão: ser vencido pelo medo ou se levantar e vencer no poder do Nome de Jesus.

Para vencer este medo que nos acomete quando somos confrontados precisamos recorrer à Palavra de Deus:

a)                Ouçamos a Palavra de Jesus: “Não temas” (Mt 1:20; Mc 5:36; Lc 1:13,30; 5:10; 8:50; Jo 12:15).

b)               Pratiquemos o amor ágape, o verdadeiro amor, pois ele lança fora todo o medo (1Jo 4:18)

c)                Creiamos na Palavra de Deus que promete que o Senhor está conosco sempre (Mt 28:20)

d)               Usemos com ousadia e fé o ministério dos anjos (Hb 1:14)

e)                Conheçamos e declaremos com fé a Palavra de Deus (Is 55:11)

 

Estas são algumas orientações que poderão ajudar a enfrentar com ousadia as intimidações do inimigo, pois o guerreiro que Deus usa não se deixa intimidar. Como Eliseu sabemos que mais são os que estão conosco do que os que estão como eles e como Davi vamos contra o inimigo não na nossa própria força mas no nome e na força do Senhor dos Exércitos.

Por ser tão ousado o guerreiro que Deus usa nem sempre é o mais adequado aos olhos da maioria. Nem todos acreditam que Deus pode usar um pequeno pastor de ovelhas para derrubar um grande guerreiro treinado e fortemente armado. Mas esse é o assunto de nosso próximo capítulo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s