POR QUE ANDAR COM DEUS? – 2 – John Walker

 

  1. ADÃO

Gn 1:26,27 – Deus começou o Seu plano quando fez um outro ser semelhante a Ele. Por que? Para ter comunhão. Ele não podia ter comunhão com um ser que não fosse semelhante a Ele, ou que não estivesse na Sua imagem. Será que nós poderíamos ter comunhão com um cachorro? De fato, pode haver uma espécie de comunhão, mas há uma comunhão especial entre dois seres semelhantes, e por isso Deus criou um outro ser na Sua imagem. Criou o homem para este propósito, para ter comunhão junto. Continuar lendo “POR QUE ANDAR COM DEUS? – 2 – John Walker”

Anúncios

POR QUE ANDAR COM DEUS? – John Walker

 

Quero falar sobre vários homens da Bíblia que andaram com Deus e conversaram com Ele. Há um ditado que diz: “Quando Deus está para fazer alguma coisa importante no mundo, Ele começa a procurar uma pessoa com quem Ele possa andar e conversar e estabelecer uma comunhão íntima e pessoal”. Continuar lendo “POR QUE ANDAR COM DEUS? – John Walker”

ESCLARECENDO DÚVIDAS EM RELAÇÃO AO DÍZIMO – CHRISTOPHER WALKER (2)

 

DÚVIDA 4

Como a Igreja hoje está aplicando aspectos da Velha Aliança de maneira errada?

Existe um livreto que esclarece muito bem como a Igreja ainda vive de acordo com os princípios da antiga dispensação (Vida em Comunidade: Estruturas que Impedem de James Hamann, Impacto Produções). Havia quatro estruturas fundamentais na Velha Aliança: Continuar lendo “ESCLARECENDO DÚVIDAS EM RELAÇÃO AO DÍZIMO – CHRISTOPHER WALKER (2)”

ESCLARECENDO DÚVIDAS EM RELAÇÃO AO DÍZIMO – CHRISTOPHER WALKER (1)

Falar sobre dízimo não é tão simples quanto possa parecer. Apesar de ser uma das práticas mais universais em todas as denominações linha e correntes do cristianismo atual, é também um dos nossos maiores estigmas em relação aos que olham de fora. Continuar lendo “ESCLARECENDO DÚVIDAS EM RELAÇÃO AO DÍZIMO – CHRISTOPHER WALKER (1)”

DÊ UM POUCO DE SI MESMO A ALGUM PEQUENINO – CHARLES SWINDOLL

Teddy Stallard certamente se qualificava como “um destes mais pequeninos” a que Jesus se referia. Não se interessava pela escola. Usava roupas velhas, amarfanhadas. Não se interessava pela escola. Nunca penteava o cabelo. Era um desses meninos na escola, que exibem uma face desconsolada, sem expressão, um olhar enevoado, sem foco definido. Quando a professora, Miss Thompson, falava a Teddy, ele sempre respondia com monossílabos. Era um camaradinha distante, destituído de graça, sem qualquer motivação, difícil da gente gostar. Embora a professora dissesse que amava a todos da classe por igual, bem lá dentro, ela não estava sendo muito verdadeira. Continuar lendo “DÊ UM POUCO DE SI MESMO A ALGUM PEQUENINO – CHARLES SWINDOLL”

O PECADO NA VIDA DO CRENTE (6)

Um Resumo: Nenhum Cristão Nunca Vai ao Inferno para Eternamente ser Atormentado

O Apóstolo Paulo, pela inspiração do Espírito Santo, enfatizou que houve uma palavra fiel e digna de toda a aceitação. Essa palavra fiel era que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores (I Tim 1:15). Se apenas um, entre todos os milhões de pecadores salvos por Cristo Jesus, fosse ao inferno para eternamente ser atormentado, essa palavra não seria fiel nem digna de aceitação. Mas as Escrituras determinam essa palavra fiel e digna. Os pecadores em Cristo são salvos! A beleza do fato de que Cristo é o Salvador dos pecadores é entendida quando se entende que Cristo não só veio para salvar os pecadores mas que também é poderoso para conservá-los (Judas 1:1,24) e guardar o que é depositado nEle até o dia final (II Tim 1:12). A certeza da salvação é baseada na pessoa e poder de Jesus Cristo. Como não há dúvida nenhuma de que o pecado destrói, incita medo, envergonha e engana, também não há dúvida nenhuma que Cristo pagou o preço inteiro para o crente ser apresentado perante a Sua glória irrepreensível e isso, com alegria (Rom. 5:6-8; Judas 24). Graças a Deus pela palavra fiel e digna de toda a aceitação! Continuar lendo “O PECADO NA VIDA DO CRENTE (6)”

O PECADO NA VIDA DO CRENTE (5)

O Crente Não Torna Desqualificado para Ir ao Céu

Nenhum homem nascido de mulher vai ao céu por sua própria justiça. Só podem ir ao céu os que foram feitos idôneos. Por causa de o homem não ter nenhuma justiça própria (Isa 64:6; Rom. 3:10), ele deve ser feito idôneo pela justiça de um outro. Dependendo das qualidades pessoais de quem o faz idôneo, pode o homem participar da herança dos santos na luz. Foi Deus o Pai quem nos fez idôneos para tal participação, nos tirando da potestade das trevas e nos transportando para o reino do Seu Filho (Col 1:12,13). Se foi o mesmo Deus que fez essa obra, como alguém outro pode desfazê-la (João 10:29)? Continuar lendo “O PECADO NA VIDA DO CRENTE (5)”