MARCOS 1:14-15 – O EVANGELHO DO REINO DE DEUS

O ministério de Jesus na Galiléia não começou imediatamente após a tentação no deserto. Na verdade, houve um espaço de um ano entre um evento e outro. Neste período de um ano, Jesus desenvolveu seu ministério na Judéia (João 2:1-4:3). A Bíblia Vida Nova, em seu comentário, registra que antes da primeira época no ministério na Galiléia, Jesus ministrou em Jerusalém e na Judéia (Jo 1:19-3:36). O Dr. Halley diz que, entre os vs. 13 e 14, isto é, entre a tentação e o começo do ministério da Galiléia, devem-se colocar o fatos de Jo1:19 a  4:54, que cobrem o período de mais ou menos um ano.”

Jesus faz uma escolha em seu ministério, ele deixa Jerusalém e a região da Judéia, que era o centro político-religioso de Israel e passa a ministrar na Galiléia, região pobre e esquecida. Ele deixa os grandes centros de poder e influência, e realiza sua obra entre os marginalizados e esquecidos da região mais pobre da Palestina.

O texto relaciona o inicio do ministério na Galiléia com a prisão de João Batista. Esta prisão, seguida da morte de João Batista somente será esclarecida no capitulo 6. João se opôs veementemente contra o casamento de Herodes com Herodias, que era mulher de seu irmão Felipe. João levantou sua voz profética denunciando que este casamento afrontava a lei de Deus. Era uma desobediência fragrante à lei de Deus. Era algo inaceitável. Mas, com sua postura, João atraiu o ódio de Herodias. E o ódio que Herodias passou a nutrir contra João foi tão grande que a levou a convencer Herodes a matá-lo (v.17-20).

É neste contexto que Jesus dá início ao seu ministério na Galiléia.

Quando Jesus começa a pregar na Galiléia sua ênfase recai sobre o “Evangelho do Reino de Deus”. No versículo 1 este mesmo evangelho é chamado de “Evangelho de Jesus Cristo, o Filho de Deus”. Jesus apresenta o Evangelho como sendo a “regra de Deus que se evidencia através dEle mesmo, na sua própria pessoa e na Sua proclamação. Ele veio para anunciar o Evangelho do Reino de Deus. Jesus deixa claro que o propósito de Sua obra é a proclamação e concretização do Reino de Deus.

O Reino de Deus foi o tema de sua mensagem na terra.

“Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus” (Mateus 4:17).

O texto nos diz que ele estava “pregando o evangelho de Deus”, mas o que significava a palavra evangelho para os primeiros leitores? É certo que não é o mesmo para nós hoje. O que significava dizer que este evangelho é de Deus?

No grego, língua que foi escrito o Novo Testamento, a palavra evangelho era bastante comum. Inicialmente significava o prêmio oferecido por levar as boas notícias, depois o termo foi usado para as próprias boas notícias. Boas notícias que tinham a ver com o povo em geral, poderia ser uma campanha vencida por um general, o nascimento de um herdeiro do imperador. Os gregos costumavam levantar as mãos bem alto e clamavam “alegrem-se, nós vencemos!”, a palavra para eles trazia a idéia de felicidade e regozijo. Existia também uma conotação religiosa, fora da fé cristã, quando um novo imperador nascia, declarava-se a Boa Notícia (evangelho) do novo “deus”(theos) que governaria o Império.

No contexto do Novo Testamento, o evangelho é o cumprimento das promessas do Antigo Testamento. Para Marcos, o evangelho era o cumprimento das profecias antigas a respeito do Reino de Deus.

Vamos estudar sobre três implicações do Evangelho do Reino de Deus:

1.      O Evangelho do Reino de Deus deve ser a pregação da Igreja – v.14

Jesus pregou o Evangelho do Reino de Deus. Como já vimos, havia naqueles dias outras maneiras de se interpretar a palavra “Evangelho”. Jesus não começou a anunciar uma boa noticia comum. Ele veio para anunciar a boa noticia de que o Reino de Deus chegou. Mais tarde ele comissionou seus discípulos a anunciar esta mesma mensagem às cidades por onde passaria mais tarde.

Reunindo os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios, e para curarem doenças; e enviou-os a pregar o reino de Deus, e fazer curas,… (Lucas 9:1-2;)

Depois disso designou o Senhor outros setenta, e os enviou adiante de si, de dois em dois, a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir.

Curai os enfermos que nela houver, e dizer-lhes: É chegado a vós o reino de Deus. (Lucas 10:1,9)

Mais tarde Jesus estende esta ordem à toda sua Igreja, ou seja a todos os seus discípulos em todos os lugares e todas as épocas.

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura”. (Marcos 16:15).

Esta é a grande missão da Igreja: pregar o Evangelho a toda criatura, ou seja todos os que foram criados mas não nasceram de novo.

Todas as passagens citadas nos levam a perceber três grandes verdades que estão ligadas à ordem de pregar o Evangelho do Reino à toda criatura:

a) Jesus nos delegou poder e autoridade para realizar essa tarefa. – Lucas 9:1; Mateus 28:18

b) Jesus nos enviou de dois em dois para que não tenhamos de cumprir a tarefa sozinhos. Lucas 9:2

c) ele nos prometeu que a pregação seria confirmada por sinais que se seguiriam – Marcos 16:20.

O Evangelho do Reino de Deus é o anuncio de que o Reino de Deus chegou – v.15.

2.      O Evangelho do Reino de Deus é a convocação para o arrependimento de pecados. - v.15

Arrependei-vos! Essa é a principal convocação do Evangelho do Reino. Arrependimento é muito mais que um simples remorso ou tristeza por se ter cometido pecados. É uma decisão firme de romper com o pecado e seguir um novo caminho de santificação através da leitura, meditação, estudo, memorização e prática da Palavra de Deus.

Arrependimento, no contexto do Reino de Deus é a decisão de se adotar um novo estilo de vida.

Em Atos 2:38, a apóstolo Pedro nos mostra quais são os resultados de um arrependimento genuíno:

- a pessoa arrependida vai imediatamente, ser encaminhada para o batismo. O batismo é a confirmação externa do que já aconteceu no interior do coração de uma pessoa. É a entrada formal dentro deste novo estilo de vida comprometido com a santidade e com os valores do Reino de Deus.

- a pessoa arrependida recebe, através do ato do batismo, a remissão de pecados. O batismo é a junção de dois atos divinos o pagamento do resgate pela vida que está sendo batizada e o pleno recebimento desta vida na família de Deus.

- a pessoa arrependida está pronta para receber o maior presente que Deus pode dar além da salvação eterna: o Espírito Santo habitando permanentemente nela.

Portanto, não há salvação, novo nascimento, remissão de pecados, batismo no Espírito Santo, nem qualquer outro valor do Reino de Deus para uma pessoa que não tenha experimentado um arrependimento genuíno de seus pecados.

Podemos notar que nem João Batista, nem Jesus Cristo e nem os apóstolos convidavam pessoas para “aceitar a Jesus”. O chamado era para arrepender-se de pecados. É este ato inicial de arrependimento que vai abrir o coração do novo crente para lutar contra o pecado.

O Evangelho do Reino não é um simples convite, mas uma incisiva convocação para o arrependimento, pois sem arrependimento o novo nascimento não acontece e sem o novo nascimento não podemos ver e, muito menos entrar no Reino de Deus (João 3:3,5).

3. O Evangelho do Reino de Deus é uma convocação para uma vida de fé neste evangelho – v. 15

A partir do momento em que a pessoa crê na pregação ela passa a viver um novo estilo de vida: uma vida pela fé neste evangelho. Este chamado não é para uma elite, mas para todos os que atenderam a convocação inicial de arrependimento de pecados.

Crer no Evangelho nada mais é do que viver a simplicidade de Cristo. É crer na Palavra de Deus como ela está escrita. É tomar posse das promessas que Deus fez para nós.

Quando Pedro conclamou aquelas pessoas ao arrependimento após sua tremenda pregação em Pentecoste, ele deixou claro que algumas precisavam ser feitas: batismo e recebimento do dom do Espírito Santo. Estes são atos  que dão inicio a toda uma caminhada de fé no evangelho. A vida de um cristão é uma vida de fé.

Crer no Evangelho do Reino envolve algumas atitudes importantes que não podem ser negociadas:

- Declarar abertamente a fé em Jesus Cristo comi único e suficiente salvador – Este é  o testemunho que faz de nós verdadeiros embaixadores do Reino de Deus. Paulo se intitula, juntamente com os demais apóstolos de embaixadores por Cristo (2Co 5:20). Sua missão é conclamar as pessoas a se reconciliarem com Deus. Esta missão só poderá ser cumprida por pessoas que se declaram crentes em Jesus de forma absoluta, tendo nEle o seu Senhor e Salvador.

- Crer na Palavra de Deus como única base para sua fé e prática – A Palavra de Deus é a única fonte geradora de fé na vida de alguém que crê no Evangelho do Reino de Deus. Ele crê que “passarão os céus e a terra mas a Palavra de Jesus jamais passará” (Mateus 24:35). Jesus ilustrou a questão de crer na Palavra de Deus contando a parábola do dois construtores em (Mateus 7:24-29). O homem que ouve e pratica a Palavra de Jesus é comparado a um homem que construiu sua casa sobre a rocha e o homem que ouve e não pratica é comparado a um homem que construiu sua casa sobre a areia. Vieram os ventos, tempestades, e arremeteram sobre as duas casas, mas foi a casa do homem insensato, não praticante da Palavra que ruiu. E Jesus afirmou que grande foi a sua queda. Uma vida que não foi construída com base na Palavra de Deus está fadada a ser destruída. A fé no Evangelho do Reino exige de nós um compromisso total em obedecer e praticar a Palavra de Deus.

- Exercer uma fé ousada, fazendo uso responsável do Nome de Jesus – O Nome de Jesus é o mais poderoso instrumento a ser utilizado pelo cristão na face da terra. No nome de Jesus há salvação, cura, libertação, batismo no Espírito Santo. Tudo o que Jesus continua a fazer nesta terra, Ele o faz através de seu Nome. E Ele nos deus autoridade para usar o Seu nome . Ele prometeu estar no meio de dois ou três que se reunirem no Seu nome (Mateus 18:20). Ele prometeu sinais que acompanharão os que crêem em seu nome (Marcos 16:17). Ele prometeu que “tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho” (João  14:13). Mas Ele também disse que se pedirmos alguma coisa em Seu nome Ele o fará (Mateus 14:14). A utilização do nome de Jesus está diretamente relacionada com a frutificação no Reino de Deus. Como cidadãos do Reino fomos chamados a dar frutos que permaneçam e, na medida que frutificamos somos autorizados a pedir tudo o que quisermos ao Pai em nome de Jesus (João 15:16).

Portanto, o Evangelho do Reino de Deus nos convoca a uma vida de compromisso com o Reino. O cumprimento dos compromissos resultam em muitos benefícios garantidos por Deus para que sejamos encorajados a continuar firme no propósito de levar o conhecimento deste Reino ao maior numero de pessoas possível.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s